terça-feira, 21 de março de 2017

Beleza de dentro pra fora

Era uma velha senhora, mas ainda vistosa, bonita... Beleza de dentro pra fora...Mulher de poucos acúmulos e muitas histórias... Generosa de si... Doava-se... Palavras de afeto, braços e sorrisos...Aquela sinceridade de quem ainda se importa com o mundo... Lamentava apenas por não ter sido sempre assim... Mas não se abatia... Águas passadas, ela dizia... E seguia... Empenhada em fazer de cada hoje o melhor dia da sua vida!

Empatia

Eu não esperava te encontrar assim... Eu não esperava... Você pra mim sempre foi sinônimo de vida, alegria... A frustração não te cai bem... É, eu sei, histórias acabam, sentimentos se encerram... E o que sobra é esse vazio, essa dor sem fim... Então você me abre um sorriso desconfortável... Sinto uma inconveniente compaixão... Como dói o sofrimento de quem a gente ama...

Trajetórias

Deixa que pousem sobre o chão as pétalas mortas... Sentimentalidades mornas não são mais do que palavras ditas em vão... Sigamos, então, cada qual, a sua própria estrada tortuosa... Sabendo que os sedimentos da nossa trajetória nos acompanharão... Novos tempos virão... E se construirão novos caminhos... A escuridão da noite não encobre o sol de uma nova manhã... A decisão é sã... Olhai os nossos cacos recolhidos... deixemos os desatinos... O que fica é recordação...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Alguns destinos...


Ela que passava as noites... Perambulando por aí, de bar em bar, de cama em cama, de chão em chão... Sem  destino... Procurando sei lá o quê... Procurando abrigo... Uma alma amiga, um coração partido como o seu, algum sentido...

 

Ela que passava dos limites... Procurando o fim do poço, o fim do fim, um precipício... Pra se jogar... Pra cair em algum lugar... Fora do mundo... Fora da vida... Fora do imundo subexistir... Fim da partida...

 

Quanta angústia pode haver no coração... Alguns destinos não se cruzam em vão... Depois de tudo o que viveu, depois de tudo o que sentiu... Voltar a pôr os pés no chão... Ela não conseguiu...

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Que grande pesar...

Que grande pesar eu sinto pelos que provaram do fruto do amor eterno inacabado... Com toda a força que apenas os amores sinceros e correspondidos são capazes de expressar... Os tais casais felizes que combinavam, se completavam... Que tinham tudo para dar certo... Mas não deram... Não por um fim anunciado... Mas pelas circunstâncias da vida, que não poupa nem os verdadeiros enamorados... uma viagem, um medo, um terceiro surgido na hora errada... o destino, um conflito momentâneo, uma voz embargada... Uma imensidão de amores, ainda que acompanhados, condenados à solidão... Ninguém se cura... Uma sombra que te acompanha na mente e no coração.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Minha estrela e o relógio do mundo

Eu contemplava a tua beleza nua, adormecida, exausta... Certamente alcançando em seus sonhos os anjos, únicos seres capazes de fazer jus à tamanha formosura... A vaidade tomou conta de mim, admito... Se algum dia você puder flutuar e aninhar em seus braços a mais bela estrela, saberá como me senti... Àquelas horas, já não era desejo o que eu sentia... O que me invadia era só satisfação... E uma vontade louca de fazer parar o relógio do mundo!

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Universos paralelos!

Às vezes eu pensava na vida como uma explosão de universos paralelos... Eu não passava de um ator que perambulava por entre os cenários... Um coadjuvante... Eu perdia noites de sono divagando sobre os labirintos das possibilidades... Eu poderia sentir orgulho ou vergonha da mesma ação, do mesmo sentimento... O mérito nunca esteve na ação em si, mas a que ela era comparada... Dependendo do universo a que eu me agarrasse naquele momento, tudo se justificava.

Um dia esbarrei mais forte em um dos universos... Ele me escolheu... Não dá pra passar a vida culpando o mundo por não ser perfeito... Justificando os mesmos erros com os antigos pesadelos... um dia a gente se dá conta que o universo é um só... E tem a sensação de que tudo acabou... A realidade pode ser mesmo o começo do fim... Ou só um recomeço!